Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Quarentena, episódio nº 873

19.04.20publicado por Gato Pardo

Querido diário, estou a ficar (mais) louco (do que normalmente já sou).

Acordei e fui fazer o pequeno almoço. Enquanto tinha o pão na torradeira, eu e o microondas discutíamos a minha crescente necessidade de cortar o cabelo e um dia destes ou desfazer a barba ou fazer umas trancinhas com ela, algo que foi apoiado pela máquina de café.

Fui estender a roupa, apanhar roupa e passar roupa a ferro. Acho que até fui tomar banho só para ter mais roupa para colocar a lavar. Será fétiche?

Abri o Spotify à espera de encontrar música adequada para uma quarentena. O que me calhou? Take my Breath Away (uau, nada como salientar um dos sintomas mais graves do Covid 19 numa música para colocar um sorriso nos lábios de um gajo) dos Berlin, Cuts like a Knife (vai muito de encontro ao meu estado de espírito de vez em quando) do Bryan Adams e Barenaked (mas não a passar a ferro, queimaduras localizadas no coiso não) da Jennifer Love Hewitt. Conclusão? O meu Spotify tem um humor ainda mais negro que o meu.

De resto? Um gajo almoça, vê séries, lê como se não houvesse amanhã, fala-se com as pessoas, uns exercícios manhosos para um gajo dizer que tenta pelo menos manter a forma e é isto. A minha vizinha do lado descobriu o Pavarotti dentro de si. Não só porque acha que tem uma voz de rouxinol mas também porque o rouxinol parece que engoliu um camião cheio de lasanhas. A quarentena está a fazer-lhe mal.

Aguardam-se futuros episódios.

 

 

 

 

1 comentário

Comentar este post